logo image

Rio Pardo recebe festival de cinema estudantil

Rio Pardo, cidade histórica do Rio Grande do Sul, entrou para o cenário cultural do Estado. O município recebeu na quarta-feira, 24 de outubro, o 1º Festival de Vídeo e Mostra de Cinema Estudantil.  A premiação foi dividida em cinco categorias. Para a jurada do concurso Yhevelin Guerin, o festival ajuda a valorizar a cultura local. “A partir dessa parceria podemos conseguir fortalecer o orgulho do rio-pardense. Podemos trabalhar a história e resgatá-la, porque existem muitas lendas para fazer material”, comenta. O evento foi realizado pela Escola Estadual de Ensino Médio Fortaleza, de Rio Pardo, e ocorreu no Centro Regional de Cultura Rio Pardo.

Foram 11 vídeos que concorreram na disputa pela premiação, que foi dividida entre troféus e medalhas. As categorias de melhor documentário, ficção, propaganda educativa, animação, telejornal e o curta escolhido por júri popular, receberam um troféu cada um. O melhor curta do festival levou para casa um prêmio no valor de R$ 280,00. Já as categorias de melhor roteirista, diretor de fotografia, ator e diretor, ganharam medalhas e um prêmio no valor de R$ 180,00 cada.

A Escola Fortaleza começou a produzir curtas em março de 2007 por meio um de projeto realizado pelo professor Ailton Zambarda, ao assumir a direção. Os alunos produziam os roteiros, e o melhor da turma era produzido em oficinas realizadas de julho a novembro. Depois dessa preparação, com os atores escolhidos, os vídeos eram gravados. “O projeto elevou muito a autoestima dos alunos. Ajudou, também, a divulgar a escola e os alunos na comunidade. Todos se sentem mais estimulados”, salienta o professor Zambarda.

 

Categorias e Vencedores

Animação: A viagem da sacola plástica, turma 82.
Telejornal: Tele-eja, EJA.
Documentário: A lida campeira, turma 71.
Propaganda educativa: O forte da leitura, turma 301.
Ficção: O homem que enganou a Morte, turma 102.

Melhor ator: Natália Martins, de O homem que enganou a Morte, interpretando a Morte.
Melhor diretor de fotografia: Luiza Goulart, de A viagem de uma sacola.
Melhor roteirista: Vitória Azambuja, de Estereótipos.
Melhor diretor: Gabriel Lisboa, de O homem que enganou a Morte.

Melhor curta no júri popular: O homem que enganou a Morte.
Melhor curta do Festival: Estereótipos, turma 301.

Reportagem: Laura Gomes, Lindiara Hagemann e Vanessa Costa

Compartilhe

Comentário