logo image

A leitura para o recomeço da vida

 A primeira biblioteca de albergue do Estado do Rio Grande do Sul já conta com mais de três mil livros

O albergue municipal de Santa Cruz do Sul foi contagiado pela leitura a partir da criação de uma biblioteca para entreter os albergados e participantes do projeto Casa da Cidadania. Com a doação de livros e revistas pela comunidade, o espaço foi inaugurado no dia 22 de setembro, e aos poucos, mostra resultados. Segundo a coordenadora do albergue, Silnara Noronha, as pessoas não fazem ideia do quanto o hábito da leitura faz bem para os moradores de rua que querem recomeçar a vida.

Este fato se comprova na rotina do ex-viciado em crack Leandro Xavier. Para ele, os livros só contribuem na sua recuperação, pois em momentos de ansiedade pela falta da droga, a leitura funciona como um calmante.

Xavier não fuma crack há dois anos e mesmo sem o primeiro grau completo, torce para que possa sair do albergue com uma boa bagagem de conhecimento.

Doações da comunidade dão corpo a biblioteca

A biblioteca também incentiva os recentes moradores, como Raquel Westphalen, de 19 anos, que faz parte do projeto Casa da Cidadania há apenas uma semana, e confirma que já leu seis livros. “A única coisa que ninguém tira da gente é o conhecimento. O livro muda o nosso jeito de pensar, e nunca é demais, quanto mais, melhor” – afirma.

O albergue também conta com uma equipe de voluntários que alfabetiza os moradores que não tiveram estudo, para assim, usufruírem das mesmas atividades que os outros colegas da casa.

Ficou interessado? Então saiba que para doar os livros, basta levá-los ao albergue. Gêneros como auto-ajuda e romance são os preferidos dos leitores. A casa fica na rua São José n° 2381, Bairro Bom Jesus. O telefone é 51 3713-1942.

ENTENDA – O Albergue Municipal recebe desabrigados desde 1992, e atualmente trabalha com o Projeto Casa da Cidadania.

Com o apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social o projeto oportuniza à albergagem tratamento para a ressocialização, capacitação de retorno à vida funcional, e também oferece emprego para quem mostra resultados de recuperação. O Albergue não tem restrições na primeira noite de atendimento, acolhe a todos e prioriza higiene e a ordem. Os albergados devem tomar banho assim que chegam e caso estejam embriagados são encaminhados ao posto de saúde. Para dormir a segunda noite, é necessário que o acolhido visite a assistente social para receber a autorização de estada de mais tempo para o tratamento.

Reportagem: Natany Borges, Daiana Carpes, Ana Cláudia Müller

Compartilhe

Comentário